Artigos

A Educação de Jovens e Adultos em Cláudia -MT

Roseni Scheffler

A Educação de Jovens e Adultos em Cláudia -MT

Este artigo trata-se de uma pesquisa que busca descrever situações de aprendizagem e práticas educativas desenvolvidas na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), compreender de que forma a alfabetização contribui na realização dos sonhos dos alunos da EJA; compreender as dificuldades que os jovens e adultos enfrentam para permanecerem na sala de aulas, depois de algum tempo longe do processo de escolarização formal.Na atualidade, diante das exigências do mercado de trabalho é necessário que as pessoas concluam seus estudos, se qualifiquem profissionalmente conforme o seu desempenho e as suas capacidades para que possam conseguir um emprego e uma boa remuneração. Diante do exposto, verificamos a importância da EJA na vida das pessoas que não puderam estudar quando crianças ou adolescentes.Para a elaboração deste artigo optamos pela pesquisa bibliográfica, dando ênfase a uma abordagem qualitativa.Revisamos a história da EJA com o intuito de contextualizar e informar o leitor. Recorremos aos seguintes autores: Paulo Freire (1989),

A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO MUNICÍPIO DE Cláudia MT

A análise dos dados coletados revelou que a EJA gradativamente vem progredindo, enfrentando varias mudanças nas áreas administrativas pela Legislação Federal na Lei n° 10.880 de 09 de junho de 2004, na qual o Art. 3° diz:Fica instituído o programa de apoio aos sistemas de ensino para atendimento a Educação de Jovens e Adultos, no âmbito do Ministério da Educação, a ser executado pelo FNDE, com o objetivo de ampliar a oferta de vagas na educação fundamental publica de jovens e adultos, em curós presenciais com avaliação no processo, por meio de assistência financeira, em caráter suplementar, aos sistemas de ensino estaduais, municipais e do Distrito Federal.

A Cidade de Cláudia sua colonização inicialmente foi a de imigrantes da região Sul inicialmente os habitantes cultivavam à plantação da mandioca para a usina de álcool (Sinop Agroquímica). Com a descoberta de ouro nas regiões vizinhas, ocasionou migrações de vários Estados para a mesma, com o fechamento de vários garimpos surgiu-se a extração de madeira que empregaram varias pessoas analfabetos ou analfabetos funcionais.Com a exploração da madeira na região foram surgindo fazendas agropecuárias com plantações de arroz, soja algodão entre outras, aonde a mão-de-obra qualificada foi se fazendo necessária. Muitos jovens e adultos na busca dessa qualificação profissional voltaram a estudar.

. O Projeto Político Pedagógico (PPP) tem como linha condutora a construção de um centro de educação de jovens e adultos baseados no pensar e no agir dos profissionais,pais, alunos e comunidade nela inserida. A partir da diversidade dos envolvidos no processo educacional busca-se um consenso para realizar uma escola para todos onde a base seja uma aprendizagem significativa, que transforme, ou contribua para modificar positivamente a realidade dos nossos alunos favorecendo a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.O currículo foi organizado a partir de quatro eixos norteadores abaixo elencados, visando as Diretrizes Curriculares gerais da Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso para EJA. Os eixos são:

Trabalho com princípios educativo contemplando a idéia de que todo educando tem direito a uma escolha que o forme como pessoa capaz de pensar, de estudar, de dirigir de controlar quem dirige.

Direito de Aprender por toda a vida contempla o compromisso da EJA com o ensino e a aprendizagem de conteúdos, que assegure a inclusão na aquisição do conhecimento social e historicamente acumulado pela humanidade, mas também com a disposição consciente de que os aprendizados constituem.Ampliando práticas e cidadania visa o direito a liberdade e as escolhas e os usos sociais do conhecimento entendendo ser necessário formar o educando par o exercício da cidadania objetiva e critica. O investimento central neste eixo é na cidadania e na capacidade de ação social e política dos sujeitos de EJA.Educação dialógica a EJA incorpora o ideário Freiriano de educação dialógica, partindo do planejamento das aulas teóricas, oficinas pedagógicas e culturais, objetivando estabelecer diálogos com saberes presentes nas experiências dos educadores nas suas culturas de origem.

Para organizar a matriz curricular da EJA parti destes quatro eixos, que será priorizado o trabalho por área de conhecimento e não por disciplina buscando uma interação entre os conteúdos a serem trabalhados e a realidade social dos educandos, por meio de uma abordagem que os relacione os temas de interesse social e coletivo.

A EJA atende jovens e adultos de diferentes faixas etárias, diferentes graus de expectativas em relação à aprendizagem entre jovens de 15 anos a adultos acima de 24 anos. A proposta pedagógica da EJA esta fundamentada nos pressupostos teóricos de Paulo Freire, Levys. Vygostsky e Emilia Ferrero.

A estrutura política pedagógica da EJA estaancorada na visão mercadológica para a formação do individuo, inserir-se no mercado de trabalho. Com o deslocamento de uma unidade da EJA para o município de Cláudia, inserem-se na política e no contexto das Diretrizes Curriculares gerais da Secretaria de Educação do Estado de MT que orienta os eixos propostos para a EJA as orientações curriculares para a educação de jovens e adultos em MT; seguinte concepção. „Trabalho, conhecimento e cultura são considerados princípios gerais da política educacional de outras discussões, da legislação educacional brasileira e de documentos internacionais, que foram pensados os quatro eixos norteadores da EJA no Estado? (SEDUC, 2012, p.12).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este trabalho chega ao final revelando a trajetória da EJA,

os problemas da evasão escolar, as dificuldades que contribuem para a evasão escolar e ainda, a estrutura e funcionamento da EJA na cidade de Cláudia-MT .Embora o EJA ofereça uma preparação básica para o trabalho e cidadania, fazendo com que jovens e adultos tenham a mínima condição para um futuro melhor. Ainda assim, ocorre à evasão escolar, nas salas de aula na EJA, é um problema sério que atinge não só os alunos, mas também os professores, a direção escolar, pela falta de alternativas para manter os alunos neste sistema de ensino.Muitos são os fatores que levam os alunos a não freqüentarem as salas da EJA, dentre eles podemos citar: o aluno que trabalha o dia todo e chega à escola exausto, o desgaste físico e mental, a falta de motivação, as precárias condições sócio-econômicas, baixo auto-estima, a dificuldade na aprendizagem, o despreparo do professor, as aulas desinteressantes.

A educação escolar é a referencia que a sociedade busca para esses alunos, é a melhor ou ate mesmo a única saída para o analfabetismo.Essa educação que é voltada para a classe menos favorecida ao longo dos anos sempre foi vista como necessário, mas não como prioridade, pois a sociedade visava o conhecimento para as crianças. A EJA é uma educação que serviu para incentivar o crescimento profissional e resgatar um déficit de analfabetismo que ora se arrasta ao longo da história. O grande índice de analfabetismo no Brasil ainda é um problema, mesmo as pesquisas mostrando que os objetivos foram alcançados.No entanto, a evasão na EJA é um problema sério e que precisa ser investigado para despertar nos profissionais a necessidade de estar sempre refletindo sobre a prática educativa destinada a essa clientela, pois a educação de jovens e adultos deve ir além da representação de números em estatísticas educacionais, ela deve conhecer resgatar a história da comunidade, desenvolver juntamente com os sujeitos um conhecimento que atenda as suas necessidades, incentivarem os alunos a permanecer em sala de aula e adequá-los aos padrões de visão de mundo, a fim de se evitar que as turmas diminuam, que a falta de interesse aumente e a evasão cresça, esse processo depende muito do educador que atua na EJA, é ele que tem o papel de motivar e incentivar esses alunos em permanecer em sala. A partir das análises dos dados, concluímos que as pessoas que tentam voltar a estudar, mas acabam evadindo, são aquelas desestimuladas por causa da “ausência de tempo”e “sobrecarga da jornada de trabalho”

Referencias

BRASIL. LDB –Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional–Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO MT.

Normatização da Educação de Jovens eAdultos para o Sistema Estadual de Ensino.Parecer n. 93, 2000.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, Brasília, Distrito Federal: MEC: UNESCO, 2000LUDKE, Menga; ANDRE, Marli E.D.A.

Pesquisa em Educação: abordagem qualitativa. São Paulo: EPU, 1986

.MATO GROSSO. SEDUC -Linhas Políticas da Educação de Jovens e Adultos O Direito dos Cidadãos a Educação Básica de Qualidade-MT, 2002

.______ .SEDUC.SEC –EJA.Programa de Educação de jovens e adultos de Mato Grosso,2001.MATO GROSSO E SEUS MUNICÍPIOS.

Disponível em <http:// www.mtseusmunicipios.com.br >.Acesso em:21 nov.2012

Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?

Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.