Curso de Ética

O bem em si

Alexandre Araújo Costa

Este exercício serve como prelúdio à leitura do Livro I da República, desempenhando o papel de problematizar alguns dos temas tratados no texto de Platão.

De acordo com sofista Trasímaco, a Justiça "não é outra coisa senão a conveniência do mais forte".

Diz ele: "Certamente que cada governo estabelece as leis de acordo com a sua conveniência: a democracia, leis democráticas; a monarquia, monárquicas; e os outros, da mesma maneira. Uma vez promulgadas essas leis, fazem saber que é justo para os governos aquilo que lhe convém, e castigam os transgressores, a título de que violaram a lei e cometeram uma injustiça. Aqui tens, meu excelente amigo, aquilo que eu quero dizer, ao afirmar que há um só modelo de justiça em todos os Estados - o que convém aos poderes constituídos. De onde resulta, para quem pensar corretamente, que a justiça é a mesma em toda parte: a conveniência do mais forte." (339a)


Opondo-se a essa idéia, Gláucon pergunta a Sócrates: "não te parece que há uma espécie de bem em si mesmo, que gostaríamos de possuir, não por desejarmos as suas conseqüências, mas por estimarmos por si mesmo?"
(357a)


Escreva um texto comentando a distinção entre esses pontos de vista e abordando a questão sobre se existe um bem em si ou se bem é apenas uma questão de conveniência determinada pelas estruturas de poder de uma sociedade.

Página anterior Próxima página
Capítulo 2 de 10
Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?

Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.