Artigos

Experiências do estagio supervisionados do curso de geografia

Rosalena Barbosa Mota

    Resumo


  O estágio nada mais é do que colocarmos em pratica tudo que aprendemos em sala de

  Aula, pela dedicação em buscarmos o melhor para nosso futuro. Saber buscar, traçar, vários, objetivos fazem parte de nossas vidas e o estagio fez parte disso tudo, a certeza de que ele me ajudou em minha formação profissional não tenho duvida. Pois ali em meio aquele ambiente de trabalho, pois não aprendi apenas sobre minha profissão, mas também ali fiz grandes amigos que me ajudaram na conduta de um bom estágio e aprendizado em meu currículo.

  Realizada ainda não sinto, porém cumpri mais uma parte de objetivos em minha vida.

  Que ficara guardado para sempre, pois foi ali que coloquei todo meu aprendizado e.

  Conhecimento em prática, fazer sempre o melhor isso foi o que aprendi neste período em que concluir meu segundo estagio. Meio de estudos aprender a aprender e nunca imaginar que sabemos tudo, pois na verdade na vida estamos aprendendo coisas novas todos os dias.


    Introdução


  Este relatório é o registro de minhas aulas de praticas de ensino de geografia do estagio supervisiono II. Ele tem como proposta a identificação, análise de necessidades e discussão de possibilidades para a melhoria na qualidade de minha aprendizagem. Tanto os acontecimentos das aulas na universidade como as do estagio na escola ensino médio teve para me sujeito no processo de aprender, ensinar, avaliar e fazer um significador especial na minha qualificação profissional.

  Este relatório é composto da descrição das observações e das experiências vivenciadas no período de regência em sala de aula que se baseou nos quatro pilares da educação e também na tendência sócio interacionista do processo de ensino-aprendizagem.

  Encontram-se descrito neste trabalho as observações não só do processo em sala de aula, como também, do ambiente escolar como um todo. Dentro deste pressuposto, procurou-se conviver e observar uma forma de direcionar a prática pedagógica como uma ação sustentada em fundamentos que englobam uma linha filosófica de aprendizagem e sua efetividade além de trabalhar com a zona de desenvolvimento aproxima do aluno.

  A metodologia adotada foi a de primeiro observar a turma em atividade, e a partir de minha análise, preparar o plano de trabalho a ser executado em minhas aulas.

  Está ação foi acompanhada por a professora Enoé Damares Costal Santos, que me auxiliou na análise dos documentos norteadores da pratica escolar, bem como na avaliação das aulas planejadas.

  É desse primeiro passo que da inicio ao conhecimento do espaço escolar, pude observar a grade importância de conhecer a organização do espaço escolar e que as relações entre os sujeitos é uma necessidade, na medida em que a aula não é um acontecimento isolado de uma sala, mas está inserida no espaço social de uma instituição de ensino. O espaço escolar é social, e torna-lo mais produtivo depende não só dos sujeitos, mas fundamentalmente, dos sujeitos investigadores, que o observam e analisam suas possibilidades de mudanças.

  Acredito que a articulação teoria-pratica-teoria e as discussões sobre as aulas planejadas e dadas no estagio tenha gerado diferentes níveis de emoção e responsabilidade, e que estas, somadas a uma boa qualidade técnica e estética, tenham desenvolvido no aluno a inquietação pela busca do conhecimento.

  Ao final do estagio pude perceber que os alunos qualificaram o suficiente para dar continuidade aos seus estudos tendo noção do que é a geografia, e a importância da mesma na nossa vida.


    Objetivos


  Este estudo tem por objetivo. Adquiri experiência para minha vivencia em sala de aula E saber posiciona diante da teoria e pratica. Levar o aluno a se posicionar de maneira responsável, zelando pelos direitos próprios e alheios a um ambiente bem cuidado e saudável na escola, em casa e na comunidade e a racionalidade no uso do espaço escolar como vista à melhoria da qualidade do seu ambiente.

  O meu objetivo é, mediante o diagnostico das necessidades e dificuldades encontradas, poder auxiliar os alunos no desenvolvimento do seu conhecimento tornando-os investigador do espaço de sua vivencia construindo conceitos de Geografia e que possam desenvolver também habilidades como: observações, levantamento de problemas, análise das situações e estudo das possibilidades. Tornando as aulas mais prazerosas e educar o aluno para a pesquisa, utilizando o método de investigação cientifica, para que eles aprendam a observar, buscar, tratar e representar os dados da realidade. Incentivando diferentes interpretações para que os alunos consigam perceber a diversidade de perspectivas que um fato geográfico pode ter.


    Caracterização da instituição campo de estágio.

   Estrutura organizacional

  O estagio foi realizado no Colégio Estadual Odorico Tavares na turma do segundo ano no turno vespertino Ministrado na disciplina de geografia tendo como publico alvo a turma 2V3.

  O corpo diretivo do CEOT é formado por: diretora, vice- diretora (matutino) vice-diretora (vespertino) e secretaria.

  A escola hoje atende a 2120 alunos sendo 1200 alunos no turno matutino e 730 alunos no turno vespertino. O corpo docente é formado por 71 professores distribuídos em 31 turmas do turno matutino e 15 turmas do turno vespertino, visto que no ano letivo de 2010 houve bloqueio para a matrícula do turno noturno. Tem 55 funcionários distribuídos nos dois turnos de funcionamento nas funções abaixo: Secretaria, Arquivista, Bibliotecária, Limpeza, Porteiro, Disciplina, Segurança e Merendeira.


    Um breve histórico de como foi fundada escola

   Fachada do Vale do Canela

  Fundado por iniciativa do Governo Estadual em 04 de fevereiro de 1994, através do Ato de Criação – Portaria nº 580/94, publicado no Diário Oficial de 14 de fevereiro de 1994, o Colégio Estadual Odorico Tavares – CEOT foi inaugurado no dia 11 de abril de 1994. O nome do Colégio é uma homenagem ao jornalista e poeta pernambucano, amante das artes e da Bahia, onde viveu durante quarenta anos e faleceu em 1980, tendo conquistado os títulos de cidadania, a Academia de Letras e a Ordem ao Mérito Estadual.

  Regulamentado pela Resolução CEE 008/97. Parecer CEEE 021/97, publicado no Diário Oficial de 26 e 27 de abril de 1997, iniciou suas atividades ofertando os cursos de Processamento de Dados e de Formação Geral, tendo como diretora a professora Marielza do Espírito Santo Benjoino, a qual foi substituída em 1998 por professora Wanda Maria Guimarães Marmund.

  Esta unidade está situada numa das principais avenidas de Salvador, Avenida Sete de Setembro, Corredor da Vitória, bairro constituído de residências a nível de classe média alta, porém a mesma atende a uma clientela que vem dos diversos bairros periféricos de Salvador e Região Metropolitana.

  Em 2000, foi implantado o laboratório de informática e implantados os laboratórios de Química, Física e Biologia a fim de atender a necessidade da utilização das tecnologias para aquisição de conhecimentos e desenvolvimento das potencialidades dos alunos.

  Em janeiro de 2002, a professora Jutalia Brito Rangel assume a direção do Colégio, solicitando sua dispensa em 2005, em virtude de vários conflitos internos, sendo substituída por professor Rubem Dario da Silva Tadeu.

  Em 2004, foi implantado o NTE ao lado do anfiteatro do Colégio com a proposta de capacitação dos professores da capital e da unidade.

  Em 2007, mais um conflito resultou na saída do professor Rubem Dario, sendo substituído por professor Wendel Pinheiro Leão, sendo afastado em agosto do mesmo ano e substituído por professora Diograce Rodrigues dos Santos, a qual mediou todo o processo de eleição direta para diretor, sendo eleito o professor Carlos Alexsandro Silva da França, que assumiu o cargo em 15de janeiro de 2009, sendo afastado do cargo em 5 de fevereiro de 2010, data em que assumo a direção.

  Hoje, a escola desenvolve vários projetos internos e externos, destacando-se o PIBID, implantado em 2008, em parceria com a UFBA, o qual inicialmente foi implantado na disciplina Física, tendo sido ampliado para Química, estando hoje atuando também em Filosofia, Biologia, Matemática, História e Artes.

  Temos um número expressivo de alunos com idade defasada em relação à série, nos dois turnos de funcionamento, sendo predominante no turno vespertino. É neste turno também o maior número que concluíram o ensino básico fundamental nos cursos de aceleração.

  Não obstante às dificuldades sócio–econômicas e culturais, percebe-se que os alunos são criativos e espontâneos, concomitantemente há certa desmotivação crescente dos alunos do turno vespertino.

  O corpo docente é formado por 71 profissionais que exercem um papel predominante no atendimento às necessidades dos alunos e seus pais. Mantêm boas relações interpessoais. Com formação superior sendo licenciados e desses 02 são mestres, 01 mestrando, 06 com pós-graduação e 12 pós-graduandos. Aprovados em concurso público realizado através da Secretaria de Educação do Estado. A grande maioria ingressou a mais de dez anos no sistema de ensino. .

  Entrada da Vitória


    Estrutura física 

   Biblioteca

  Gabinete odontológico

  O CEOT possui 30 salas de aula com TV pendrive instaladas e que são utilizadas pela maioria dos professores como ferramenta pedagógica, 2 salas de Coordenação, 4 laboratórios voltados para a área das ciências (Química, Física, Biologia e Ciências), 1 sala para reuniões, 3 salas de professores, 1 sala de vice direção, 1 sala de direção, 1 sala de secretaria, 1 sala de xérox, 1 cantina, 1 almoxarifado, 1 depósito de merenda, 1 cozinha devidamente equipada, 1 gabinete odontológico, 1 biblioteca, 1 laboratório de informática, 1 sala para arquivo morto, 30 sanitários, 1 teatro de arena, 1 quadra de esportes coberta com arquibancada, 1 quadra descoberta, 2 portarias.

    cantina                 

Laboratório de Biologia

Laboratório de Física


    A comunidade


  O bairro onde está inserida a escola é um bairro residencial, de classe média alta, com poucas opções comerciais e as que existem são voltadas para o ramo de hotelaria.

  Os moradores, na sua maioria, não participam das ações da escola, demonstrando em alguns momentos certa insatisfação com a presença da mesma.


    Os estudantes


  Os alunos são oriundos dos bairros periféricos e região metropolitana. A informatização da matrícula oportuniza que alguns alunos de bairros distantes e até mesmo de outros municípios façam parte desta instituição.

  Tem um número expressivo de alunos com idade defasada em relação à série, nos dois turnos de funcionamento, sendo predominante no turno vespertino. É neste turno. Também o maior número que concluíram o ensino básico fundamental nos cursos de aceleração.

  Não obstante às dificuldades sócias econômicas e culturais, percebe-se que os alunos são criativos e espontâneos, concomitantemente há certa desmotivação crescente dos alunos dos turnos vespertino. Pude chegar a essa conclusão por ter realizado meu estagio neste turno, e antes tenha feito uma analise no turno matutino.


    Descrimação das atividades no estagio


  Na primeira unidade foi trabalhado com as atividades de pesquisas e estudos dos mapas, conhecer a distancia entre lugares fronteiras: o que separa as localidades, a população e sua mobilidade, vivendo na cidade, vida de adolescente, renda e trabalho: como será o amanhã? Essas atividades foram divididas em três etapas, onde: a primeira trabalhou-se com mapas que tinha como objetivo: compreender a linguagem cartográfica, identificar e analisar diferentes fatores que contribuem para a ocupação do espaço pela população brasileira.

  A segunda foi trabalhada com a interpretação de dados que visava buscar o entendimento do aluno para compreender e utilizar o mapa como instrumento de representação do espaço a partir das noções de população, migração e urbanização.

  A terceira foi feita uma pesquisa de como vivem os brasileiros, o objetivo foi identificar e compreender as condições de vida dos adolescentes no Brasil, analisando suas expectativas de futuro diante dos dados sobre rendimento e emprego. Refletir sobre a diversidade regional e propor soluções coletivas. Após a conclusão das etapas foi aplicada uma oficina sobre o senso demográfico do IBGE de 2010.

  Os tópicos a ser pesquisados faram: Economia e desenvolvimento Interpretações da reportagem, respondendo questões para pesquisa elaboração de gráfico (dados estatísticos), índice de desenvolvimento humano, Criar uma charge através da elaboração e interpretação dos conteúdos coletados sobre o senso demográfico de 2010.

  Esta oficina foi realizada em equipe, e tiveram três etapas a primeira foi à coleta dos dados realizados através da pesquisa, a segunda foi à construção da charge e a terceira foi à apresentação do resultado fina da pesquisa através de seminário. Foi avaliado o comportamento do grupo a exposição das ideias o conteúdo pesquisado a participação na construção o entendimento e desenvolvimento do grupo, a postura e se dominava o assunto na hora da apresentação.

  Na segunda unidade trabalhou-se com os conteúdos: Urbanização brasileira, impactos ambientais urbanos, Brasil sistema de transporte. As atividades foram através de pesquisas: onde os alunos levavam reportagem de jornais e revistas que abordassem o mesmo, depois através de suas interpretações criassem condições para um desenvolvimento consciente, apontando a causa dos impactos e os meios de transporte que melhor favorecesse a sociedade brasileira.

  Após a exposição das pesquisas e do entendimento da turma e da abordagem sobre Urbanização. Para que os alunos melhor compreendessem a importância da pesquisa para a aprendizagem, foi construída uma oficina onde abordava o tema violência Urbana. E através das pesquisas iriam apontar os tipos de violência urbana às causas às consequências e os agressores. A construção era na sala e partindo da interpretação dos fatos pesquisado os alunos em grupos iram criar condições adequadas para combater a violência Urbana e depois em forma de seminário iriam apresentar o que entenderam e quais as condições para combater a violência Urbana.

  Foi avaliado o interesse do grupo sobre o conteúdo o que aprenderam, a capacidade de interpretar, analisar o conteúdo e a capacidade de criar situações adequadas para resolver o problema. Os alunos devem expor suas opiniões, mostrando o que conhecem sobre o tema, além de consulta e elaboração de argumentos e opiniões referentes ao tema que são apresentados a toda a classe. Observei que a avaliação é importante para o professor saber diagnosticar o uso das competências e das habilidades dos alunos. Os alunos devem ser levados a encontra respostas saber comunica-las e usar a solução no ambiente.

  Todas as minhas aulas foram programadas e executadas de acordo o projeto pedagógico da escola. É muito importante que no planejamento contemplemos o tempo de execução para cada etapa do trabalho na sala de aula, assim como para aplicação dos instrumentos de avaliação e tarefas de casa. Aprendi que na preparação das aulas precisamos cronometrar as ações para que não haja frustações nas tarefas interrompidas ou uma extensão de tempo para além da necessidade, redundando em indisciplinar na sala. Na previsão do tempo destinado ás atividades deverem respeitar o ritmo de assimilação dos alunos e suas habilidades na execução das tarefas. Não obstante, sabemos que algumas vezes as ações não podem ser planejadas de forma rígida, pois a aula é uma dinâmica de coletivos inteligentes, que provocam alterações no tempo previsto.


    Apresentações dos resultados


  No período em que estive na escola encontrei algumas estruturas como: 30 salas de aula com TV pendrive instaladas e que são utilizadas pela maioria dos professores como ferramenta pedagógica, 2 salas de Coordenação, 4 laboratórios voltados para a área das ciências (Química, Física, Biologia e Ciências), 1 sala para reuniões, 3 salas de professores, 1 sala de xérox, 1 cantina, 1 almoxarifado, 1 cozinha devidamente equipada, 1 gabinete odontológico, 1 biblioteca, 1 laboratório de informática, 1 sala para arquivo morto, 1 teatro de arena, 1 quadra de esportes coberta com arquibancada, 1 quadra descoberta. Mais, no entanto não vir nenhuma área destinada a pesquisas geográfica, ou material que pudesse ser usado nas aulas de geografias. Visto que a maioria das escolas publica tem uma estrutura equipada mais infelizmente os profissionais não usam adequadamente esse espaço ou por falta de interesse ou por não estar em condição adequada para uso. Vejo que a cada dia perdem-se as esperanças por uma boa educação. Segundo a citação de Freire (1979 p.30). “Uma educação sem esperança não é educação”.

  Meu estagio foi realizado em uma turma do segundo ano do nível médio, onde trabalhei com vários temas, mais coloquei em destaque trabalho em grupo através de pesquisa.

  Vejo que quando o aluno torna-se um pesquisador ele amplia sua área de conhecimento onde eles devem pensar e agir na base da teoria de um conjunto de capacidades, de observações, atenção, memoria e raciocino etc. E que cada melhoramento de qualquer destas capacidades significa o melhoramento de todas as capacidades em geral.

  Segundo a concepção de Vygotsky “se a aprendizagem está em função não só da comunicação, mas também do nível de desenvolvimento alcançado, adquire então relevo especial além da analise do processo”. De comunicação a analise do modo como o sujeito construir os conceitos comunicados e, portanto, a análise qualitativa das “estratégias” utilizadas, dos erros, do processo de generalização. Foi possível observar o interessem da turma em trabalhar com temas através da pesquisa, e o quanto foi proveitoso para a sua aprendizagem, tornando o aluno investigador e critico. Construindo-se uma aula iterativa e produtiva, com uma diversidade de informação onde o educado é responsável pela busca dos seus conhecimentos. Conscientizando que quando buscamos materiais além dos livros didáticos aumentamos os nos conhecimentos além de desenvolver a capacidade intelectual dos alunos. É possível ver a imensa necessidade que os professores da rede pública enfrentam para obter materiais necessários para uma boa aula. É nesse momento que devemos colocar em pratica a nossa didática e torna-se interdisciplinar para criar meios que melhor atenda os nossos alunos sem colocar em risco a sua aprendizagem.

  Não encontrei nenhuma dificuldade no período em que realizei o estagio. Os alunos tiveram um bom comportamento, interagiram participaram mostraram interesse peles as aulas. Posso garantir que além de ensinar aprendi muito com essa turma.

  Segundo a citação de (Pimenta, 1997) “atividade docente é sistemática e científica, na medida em que toma objetivamente (conhecer) o seu objetivo (ensinar e aprender) e é intencional não casuística”.


    Conclusão e recomendações


  Durante o período de estágio aproveitamos para aprender a observar melhor como se desenvolve as atividades diárias de um professor, e também como é o ensino médio das escolas publicas, pode-se concluir que ainda tem muito a se fazer pela melhoria da qualidade de ensino, apesar da gradativa evolução no sistema de ensino, ainda há uma dependência financeira dos profissionais em educação, e falta seriedade por parte dos atores envolvidos no processo, pois precisam se conscientizar que a educação é de responsabilidade de todos e mesmo estando inseridos no sistema capitalista pode se trabalhar com criatividade e ensinar os caminhos para a formação de cidadãos críticos que sejam analisadores do processo capitalista. Quanto à educação no CEOT, podem ser observados que tem momentos que o ensino não recebe incentivos, ou seja, os interesses da classe dominante estão acima dos interesses sociais. Neste sentido o colégio observado tem tentado através dos seus educadores a ser diferente contribuindo para uma formação voltada para uma sociedade mais justa.

  O problema detectado foi à organização escolar que infelizmente deixa a desejar e sem essa mola mestra se torna muito difícil o desenvolvimento escolar, até porque pais acostumados com uma escola tradicional às vezes não conseguem entender a questão da pesquisa, por outro lado existe uma radicalização uma liberdade em excesso por parte de alguns profissionais e também de alguns pais que deixam a vontade dos filhos, tudo isso e também outros problemas familiares interferem no aprendizado dos alunos, é por isso que é preciso uma interação entre pais alunos professores e a comunidade num todo para que juntos possamos construir uma nova mentalidade em educação.

  Segundo Paulo Freire, na medida em que o homem cria, recria e decide, vão se formando as épocas históricas. E é também criando e decidindo como deve participar nessas épocas. É por isso que obtém melhor resultado toda vez que, integrando-se no espirito delas, apropria de seus temas e reconhecer suas tarefas concretas. É isso que todo professor deve fazer desconstruir e construir a todo o momento a aprendizagem dos seus alunos.


    Referências


  ALESSANDRI CARLOS, A. F.(org.) (1999). A Geografia na sala de aula. São Paulo: Contexto.

  ANTUNES, C.(2009). Professores e professaures. Petrópolis: Vozes.

  FREIRE PAULO Educação e mudança.

  MACEDO, L. (2005). Ensaios pedagógicos – Como construir uma escola para todos. Porto Alegre: Artmed.

  CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo, F.F.C.L. da USP, 1952.

  PILLETTI, Nelson. A história da educação no Brasil. 7ª ed. São Paulo, Ática, 1997.

  REVISTA Veja de 18 de fevereiro 2004.

  PCN – Parâmetros Curriculares Nacionais.

  FRANÇA, Maria Sônia de. Educação e meio ambiente do vale do Rio dos Bois. O popular. Goiânia, 2001.

Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?

Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.