Artigos

Projeto Brasil problemas ambientais

Rosalena Barbosa Mota

    Projeto: Brasil problemas ambientais


  Qual a importância de preservar o meio ambiente? se antes não entendermos o seu significado para a sobrevivência dos seres vivos. Não restam dúvidas que a nossa intenção é implantar um novo sistema de desenvolvimento que venha preservar o nosso planeta, através de modelos de ocupação e uso do território que reduza os impactos das transformações ocorridas no meio ambiente.

  A complexidade da ameaça em que a sociedade moderna está confrontada, em busca do bem estar, nos leva a refletir sobre a definição de um desenvolvimento a partir de uma visão holística da presença do homem na superfície terrestre. Isso pode ocorrer, através de exercício de reflexão sobre o nosso comportamento e responsabilidade para com a sociedade.

  A verdade é que nós consumimos cada vez mais produtos que o sistema de objetos e sistemas de ação nos oferece a todo instante. Nós tornando refém das tecnologias consumindo desnecessariamente provocando toneladas de lixos eletrônicos jogados irracionalmente ao meio ambiente. Desequilibrando o ecossistema, através de poluições e muitos outros danos causados por lixos tóxicos descartados inadequadamente. Tendo como objetivo consumir apenas o que for necessário para nossa sobrevivência, agir de maneira responsável, reciclar, descartar produtos não utilizáveis em local adequado, usar produto que tenha certificação e que foram produzidos de maneira consciente. Ou seja, nos tornar um cidadão consciente responsável e preocupado em preservar o meio ambiente.

  Como reduzir os impactos das ações humanas sobre o meio ambiente

  Esse projeto visa á melhoria das condições do meio ambiente e a conscientização da humanidade para a preservação do mesmo. Além de um desenvolvimento e sustentabilidade e a busca por um melhor índice de felicidade bruta e a construção da climatologia urbana.

  Enquanto competências geográficas, perspectiva do sistema climático, na óptica do gestor do território, procurará fornecer conhecimentos teóricos e instrumentais metodológicos, que facilitem a avaliação dos reflexos dos processos físicos, químicos, atmosféricos sobre tudo quando se traduzem por manifestações paroxísmicas no território e que permitam aquilatar as repercussões no sistema climático local, regional e global, causadas pelo modo de organização das pessoas e das atividades escolhido e pelo o grau de adulteração do suporte biogeofísico natural.

  Para isso, o clima deve ser entendido enquanto componente do desenvolvimento e deverá ser avaliado como: fator determinante, dos recursos naturais e riscos naturais.

  Sendo assim, as relações entre a sociedade e o sistema climático dependem das características deste, mas também, da capacidade de absorção, da resistência e da elasticidade da estrutura social existente.

  A educação ambiental pode ocorrer dentro das escolas, empresas, universidades, repartições públicas, etc. Esta educação pode ser desenvolvida por órgãos do governo. A educação ambiental deve estar presente dentro de todos os níveis educacionais, como o objetivo de atingir todos os alunos em fase escolar. Os professores podem desenvolver projetos ambientais e trabalhar com conceitos e conhecimentos voltados para a preservação ambiental e uso sustentável dos recursos naturais ou nao naturais.

  Um dos objetivos é o processo de reciclagem, partindo desde o processo de produção, distribuição e consumidor final. É importante saber produzir conscientemente para que não haja esperdiço, além de saber para onde vão os dejetos industriais, pois o nosso interesse é preservar a natureza. E entender como se dar as distribuições desses produtos, que são produzidos em larga escala, ate chegar ao consumidor final. A humanidade não foi educada a consumir de maneira consciente, o modelo de produção capitalista é devastador, pois, produz de maneira irresponsável e a humanidade segue consumindo do mesmo modo. É importante nos conscientizar que o meio ambiente é o conjunto dos elementos físicos, químicos e biológicos necessário à sobrevivência de cada espece, vegetal e mineral além dos seres humanos.

  Desta forma, na quase totalidade da história da existência humana prevaleceu o equilíbrio nas relações entre os indivíduos e a natureza. Portanto, até o século XVIII, não havia impactos significativos na natureza provocados pela ação humana, seja porque a população mundial era relativamente pequena, ou porque a tecnologia usada não era suficiente para causar grandes alterações nos ecossistemas da terra.

  Porém, a partir do desenvolvimento da Primeira Revolução Industrial, primeiramente na Inglaterra (a partir da segunda metade do século XVIII), e posteriormente na Europa Continental, nos Estados Unidos e no Japão, o meio ambiente começou a ser afetado de modo significativo e preocupante. Podemos observar que, nas ultimas décadas, com a industrialização e a integração econômica alcançando níveis globais, a degradação dos ecossistemas atingiu uma situação alarmante.

  O Brasil não é exceção nesse quadro trágico. A ação humana tem provocado sérios danos aos ecossistemas em nosso país. Atualmente, os principais problemas têm origem nas atividades agropecuárias e predatórias e na extração madeireira. Nas últimas décadas, o Brasil tem ocupado lamentavelmente um lugar de destaque entre os países com maior índice de desmatamento. Bastar observar a floresta amazônica, considerada a maior reserva natural do planeta, já teve quase 15% de sua mata original destruída. Portanto, a Mata Atlântica atualmente possui menos de 7% de sua formação original. A cada ano, segundo os defensores do meio ambiente, uma área de aproximadamente 50 mil km² na Amazônia é atingida pelas queimadas. Inevitavelmente há empobrecimento do solo, o processo de desertificação se acelera, atingindo uma área de quase um milhão de km² no país, estendendo-se por dez estados. A fumaça provocada pelas as queimadas, além dos males à saúde, contribui também para o aquecimento e as alterações climáticas do planeta, colocando o Brasil em situação de risco.

  Por outro lado, o garimpo predatório polui os rios e contamina as águas. A sociedade, por meio de grupos ambientalistas, tem ações e programas preventivos, que combinem o desenvolvimento ecológico.

  Assim sendo, as florestas são os ecossistemas mais ricos em espécies animais e vegetais e sua destruição constitui grave risco à biodiversidade. Por isso, a ação dos ambientalistas se volta principalmente para sua integridade. Nos países desenvolvidos, isso é hoje motivo de preocupação, principalmente nos países onde o número de produção e consumo é em larga escala.

  Em 1992, no Rio de Janeiro, aconteceu a II Conferencia das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e o Desenvolvimento, mas conhecido como ECO-92, ou Rio-92, com a participação de 114 chefes de Estados e 170 delegações oficiais, além de representantes de organizações internacionais, como o Fundo Monetário Mundial (FMI) e banco Mundial. Onde o seu principal objetivo foi examinar a possibilidade de elaborações de direitos e obrigações gerais do Estado em matéria ambiental. Os dois documentos mais importantes aprovados foram:

  Carta da terra: é uma declaração de princípios que tem por finalidade orientar o comportamento econômico e ecológico dos povos e das nações, no desenvolvimento e no meio ambiente.

Agenda 21: pela qual os governos devem organizar um programa de ações estabelecendo metas aceitas por todos para os principais fatores que afetam as relações entre o meio ambiente e o desenvolvimento.

  Pode-se relacionar o Protocolo de Kioto com a Agenda 21. Os países participantes da conferencia decidiram estabelecer um protocolo com medidas para diminuir o uso de substâncias geradoras de gases que provocam o chamado efeito estufa.

  A nossa proposta é conscientizar a população, para o consumo consciente. Pois para sobreviver e vencer em espaços exíguos, é necessário ter noção sobre a importância do meio ambiente em nossa vida, o homem urbano consumidor perdeu, completamente, a noção das suas múltiplas relações de dependência do espaço envolvente. O modo como a água que usa dentro de casa é colocada à sua disposição não o leva a pensar no rio, na fonte ou na nascente de onde ela vem. A canalização dos esgotos para a rede de saneamento é suficientemente eficiente, para não dar sequer tempo de apreciar as profundas diferenças na composição química entre a água que saiu da torneira e a que se escoa para o esgoto. E, onde vai desaguar a intrincada rede de saneamento? É certamente muito, longe, num lugar que, normalmente, evitaremos quando procurarmos descansar “ao ar livre”. “A cadeia trófica do cidadão urbano, como afirma alguns autores, resume-se ao percurso curto entre o supermercado e o balde de lixo”. A corrida é para reverter os danos causados pela a sociedade de consumo exagerados de produto produzido de maneira irresponsável.

  Vamos proceder das seguintes maneiras: começando da investigação de como é produzido os produtos que consumimos, qual a sua origem, como se dar seu processo de produção e qual a responsabilidade das empresas produtoras com o meio ambiente. Os seres humanos são induzidos pelo o mercado de consumo a consumir exageradamente produtos sem se preocupar com o meio ambiente, produzindo cada vez mais toneladas de lixos. A maioria dos produtos consumidos por nós vem de outros países, principalmente da China que são distribuídos de maneira irregular para outros países, produtos esses muitas vezes produzidos de material tóxicos e são descartados inadequadamente no lixo causando varias consequência ao meio ambiente. Exemplo contaminação do solo, poluição das aguas, poluição do ar etc. O importante é saber o que estamos consumindo, devemos observar se o produto que estamos consumindo tem o selo de garantia do inmetro. Para ter certeza que estamos fazendo a escolha certa devemos optar por empresas certificadas. Basta identificar os rótulos de certificação no produto que comprovem a integridade do processo. Para que a certificação tenha um significado real, toda a cadeia de produção deve ser certificada, desde o plantio da floresta até a sua distribuição. A certificação significa que nós não estamos apenas comprando um produto, mais garantindo o futuro mais sustentável, não somente hoje, mais por muitas gerações. Esse é o nosso papel enquanto cidadãos preocupados com o futuro do nosso planeta.

  Em fim, para garantir o bem-estar da humanidade, são necessárias novas maneiras de pensar e de agir. Dar o primeiro passo é essencial para que possamos ter um mundo mais justo e o meio ambiente equilibrado. Devemos começar reciclando vamos nos conscientizar a discriminar a reciclagem partindo da escola ate a sociedade, se todos nos tivessem essa consciência com certeza iriam ter um planeta mais equilibrado, além de um futuro melhor para a nova geração.

  Vamos produzir cartilhas conscientizando a população à importância da preservação do meio ambiente. O meio ambiente não é somente a natureza, mas sim onde quer que nós vivêssemos, se poluímos a natureza, estamos nos poluindo, precisamos dela como método de sobrevivência.

  A preservação do meio ambiente é algo que é bem notado para nós nos últimos anos fomos esquecendo a sua importância, se todos tomarmos consciência com atitudes simples pode reverter o caso veja algumas dicas:

Não devemos cortar as arvores sem a autorização.

  Devemos preservar a vegetação nativa. Não desmatar! Não colocar fogo!

  Devemos respeitar os períodos de proibição de pesca, se não, não teremos peixes, e esses entrarão em extinção.

Não cria animais sem licença.

Não comprar, e não ter animais silvestres em casa.

Não maltratar os animais silvestres ou domésticos, eles são muito importante para a garantia do bioma.

  O principal objetivo deve partir de simples gestos nosso em separa o lixo em casa e no trabalho, não jogar lixo no chão. Reciclar ou reaproveitar tudo o que poder, por exemplo: garrafas pets, vidros plásticos e papel. Devemos ensinar as crianças amor e respeito pela natureza, reduzir o consumo, principalmente do que não poder ser reaproveitado, ou reciclado assim enviaremos menos lixo para a natureza digerir.

  Usar menos venenos nas lavouras ou hortas, dessa forma está contribuindo para uma alimentação saudável sempre, sem agrotóxicos, não devemos desperdiçar a água e muito menos a energia elétrica.

  Vamos disponibilizar lixeiras adequadas para todos os tipos de produtos para cada comunidade e escolas para que a população se conscientize o quanto é importante o processo de reciclagem.

  Em fim, o projeto resulta em mudanças de atitudes, como reflexos nos campos econômicos e sociais, entre outros. A busca em solucionar problemas referentes ao meio ambiente são movimentos que não iram terminar nunca. Por isso, não basta organizar a coleta seletiva do lixo. É preciso pensar na relação entre as pessoas, compartilhar oportunidades de conhecimentos e, sim, discutir sobre o cuidado com o lixo e sobre tudo o que esta ao redor. São os nossos pequenos gestos de ações e conscientizações que faz toda a diferença no meio ambiente basta cada um de nós fazer nossa parte para que possam ter um planeta melhor.


    Referências


  MONTEIRO, A. 2005. “Sistema Climático: uma questão de escala de abordagem na investigação, na comunicação e na ação”, O Porto, nº16, Porto.

  AMALIA, Inés Geraiges de lemos. Geografia, tradição e perspectivas: interdisciplinaridade, meio ambiente e representações. Buenos Aires: CLASSICO; São Paulo: Expressão Popular, 2009.

Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas