Biografia dos Federalistas

Biografia dos Federalistas

John Jay (1745-1829)

A longa vida de Jay englobou o movimento pela independência americana e a criação de uma nova nação, dois processos que se dedicou de maneira integral.

Suas realizações foram inúmeras e de importância fundamental no surgimento e nos primeiros anos da nova nação, embora ele não fosse a favor inicialmente da separação da Grã-Bretanha. Jay foi um dos comissários americanos, que negociou a paz com a Grã-Bretanha e que assegurou a independência à ex-colônia.

Servindo a nova República foi secretário dos Negócios Estrangeiros ao resguardo dos artigos da confederação, foi um dos contribuintes para o federalista, foi nomeado o 1° Chefe de Justiça dos EUA, foi negociador dos 1794 “Jay” Tratado com a Grã-Bretanha, e teve dois mandatos como governador do estado de New York. Em sua vida pessoal se dedicou a vários problemas sociais e culturais.

Filho de um abastado comerciante de New York, foi educado por professores particulares em seus primeiros anos, Jay entrou na recém fundada King’s College, a futura universidade de Columbia, no final do verão de 1760. Tornando-se bacharel em direito em 1764, começou a exercer sua profissão no escritório de Benjamim Kissam, e em 1771 abriu seu próprio escritório de advocacia. Durante estes anos ele também trabalhava como escritor do New York – Nova Jersey Comissão de Fronteiras.

Em 1774 Jay se casou com Sara Livingston, filha do governador de Nova Jersey, Willian Livingston, ganhando assim ligações importantes com uma família politicamente influente. Em maio do mesmo ano ele foi levado para a política de Nova York. Conservadores procurando a perna em respostas mais radicais para os Atos Intoleráveis, nomeou uma comissão de 50, incluindo Jay, para organizar a eleição para o congresso continental.

Ao longo de sua luta revolucionária Jay seguiu um caminho de moderação, assim nos meses antes da independência, ele favoreceu a exploração das possibilidades de aproximação total, ajudando a elaborar a petição Olive Branch. Como delegado na Convenção de New York (1776-77), Jay teve uma influência indispensável na formação de uma constituição do novo Estado.

Jay permaneceu como um ator importante a nível estadual, tornando-se juiz da Suprema Corte do estado antes de passar para o cenário nacional para assumir a presidência do congresso em 1778.

Em 1779 Jay é escalado para uma missão na Espanha, onde passou três anos buscando o reconhecimento diplomático, apoio financeiro e um tratado de aliança e comércio. Passou os quatro seguintes anos no exterior a serviço de sua nação, tanto como comissário para Espanha e depois em Paris, onde ele era um membro da delegação americana que negociou os termos de Paz que deu fim à Guerra de Independência dos Estados Unidos com a Inglaterra. Este processo culminou com a assinatura do tratado de Paris, em setembro de 1783.

Jay volta para os EUA em 1784 e foi eleito Secretário dos Negócios Estrangeiros, e neste cargo ele enfrentou questões difíceis, como a violação do Tratado de Paris por ambos os países.

Em 1787 e 1788 colaborou Jay juntamente com Alexander Hamilton e James Madison nos Ensaio Federalistas, sendo ele autor dos ensaios número 2, 3, 4, 5 e 64. Jay também desempenhou um papel chave no pastoreio da Constituição por meio do Estado de New York a ratificação da convenção em face da oposição vigorosa. Nesta luta Jay também produziu um panfleto, “Um discurso ao povo de New York”, que poderosamente reafirmou o caso federalista para a nova Constituição.

Em 1789 Washington nomeou Jay como Chefe de Justiça da nova Corte Suprema. John Jay usou sua posição para prestar esclarecimentos sobre a inviolabilidade dos contratos se no clima de apoio a Nova Inglaterra ou do ambiente Hostil da Virgínia.

Em 1795 Jay é eleito o novo governador de New York, exercendo dois mandatos. Em sua aposentadoria da vida pública em 1801, Jay manteve um grande interesse em assuntos estaduais e nacionais, também desenvolvendo uma série de interesses intelectuais, tornando-se presidente da sociedade Bíblica Americana. John Jay faleceu em 1829 com 83 anos.

James Madison (1751-1836)

Nasceu na Virgínia em 16 de Março de 1751 em uma antiga e influente família, foi criado em Orange Country, e frequentou Princeton ( ex College of New Jersey). Cursou história, governo e direito. Participou da elaboração da constituição da Virgínia em 1776, serviu no Congresso Continental e foi líder na Assembléia da Virgínia, foi Secretário de Estado durante o Governo de Thomas Jefferson, junto com quem criou o partido republicano.

Quando os delegados da Convenção Constitucional se reuniram na Filadélfia, Madison com 36 anos, participou de forma frequente e enfática nos debates. Ele contribuiu de forma importante para ratificação da Constituição ao escrever, juntamente Alexander Hamilton e John Jay, os Ensaios Federalistas. E em 1788, Madison foi responsável por ter escrito mais de um terço das Monografias Federalistas, e ainda o mais influente comentário sobre a Constituição, pois estava profundamente empenhado em criar mecanismos que garantissem o republicanismo nos Estados Unidos. Anos depois foi chamado de “Pai da Constituição”.

Madison não criou o sistema de pesos e contrapesos para limitar o poder do governo, mas ajudou a levá-lo mais longe do que qualquer outra pessoa. Contrariando pensadores respeitados como Montesquieu, ele defendeu a ideia de que esse sistema poderia ajudar a proteger a liberdade em uma grande república.

No Congresso, ele ajudou a esboçar a Carta dos Direitos. E de sua oposição às propostas financeiras de Hamilton, se desenvolveu o Partido Republicano, ou Jeffersoniano. Como secretário de Estado do Presidente Jefferson, Madison protestou junto a França e à Grã-Bretanha , que estavam em guerra, que suas capturas de navios americanos eram contrárias à lei internacional. Apesar de impopular, Madison foi eleito presidente em 1801, sendo ele 4° presidente dos Estados Unidos, onde exerceu 2 mandatos.

Madison viveu até os oitenta e cinco anos de idade, cada vez mais ignorado pelos novos líderes do governo americano. Faleceu em Montpellier, em 28 junho de 1836, sendo o último "pai fundador da nação" a morrer. Madison está sepultado no Cemitério da Família Madison, em Montpelier.

Alexander Hamilton (1757-1804)

Nasceu 11 de janeiro de 1757 nas Antilhas, foi para a América aos 16 anos de idade. Intelectual e revolucionário, um dos fundadores dos Estados Unidos, cujas as idéias firmaram as bases da constituição desse país, elaborada na Convenção da Filadélfia em 1787, publicou uma série de textos em defesa da constituição, que se tornaram clássicos da literatura política, os Ensaios Federalistas, juntamente com John Jay e James Madison.

De origem humilde autodidata, estudou matemática, história e ciências naturais. Morando em New York 1772, passou a escrever ensaios que difundiam suas idéias sobre movimentos de independência.

Estudou no King’s College ( após Universidade de Columbia), e engajou-se na guerra de independência , como capitão de uma companhia de artilharia de New York 1776, atraindo a atenção de George Washington, que o adotou como ajudante de campo e secretário particular, no posto de tenente-coronel. Terminou o curso de direito em 1782, ainda durante a guerra.

Depois da aprovação da constituição Hamilton torna-se 1° Secretário do Tesouro de 11 de setembro de 1789 até 31 de janeiro de 1795, no 1° gabinete de Washington. Hamilton ajudou a fundar a Casa da Moeda dos Estados Unidos, o First Bank of the United States, a Guarda Costeira e um elaborado sistema de tributos, tarifas e impostos. O programa hamiltoniano, uma vez completo, substituiu o caótico sistema financeiro da era da Confederação, em cinco anos, com um moderno aparato para dar estabilidade financeira ao novo governo e aos credores a confiança necessária para investir nos títulos da dívida federal.

Hamilton opôs-se às idéias britânicas de livre-comércio, as quais ele acreditava serem inclinadas a beneficiar os poderes coloniais/imperiais, em favor do protecionismo dos Estados Unidos, que ele acreditava que iria ajudar a desenvolver a emergente economia da jovem nação

Alexander Hamilton falece aos 47, em consequência de ferimentos recebidos em duelo contra Aaron Burr um ex-vice presidente e seu adversário político.O duelo aconteceu na manhã de 11 de julho de 1804 e resultou do crescente desentendimento entre aqueles dois verdadeiros chefes políticos que rivalizavam pelo controle de New York.

Sumário

Boletim Arcos

Cadastre-se para receber nosso boletim informativo
E-mail:

ok


Acompanhe o Arcos nas redes sociais


Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas