Contexto Artístico-Cultural

More viveu o período do Renascimento Cultural, na fase do Cinquecento ou Alta Renascença, inaugurando o pensamento utópico deste movimento. Tão influenciado pela cultura clássica quanto seus contemporâneos, More tirou do grego o termo que intitula sua mais consagrada obra (e, por extensão, à ilha onde se passa a história): utopia deriva do grego "ou-topos", que quer dizer "não-lugar". More e Maquiavel - cada um a seu modo - deram origem ao pensamento político moderno, tal qual os renascentistas criaram um novo padrão artístico que se espalhou pelo continente europeu e também afinado à modernidade. Se a Renascença significou a renovação da arte, abandonando seus traços medievais rumo a um novo paradigma, de caráter humanista, More não menos renovou, juntamente com Maquiavel, a forma de se entender a política - não mais baseada no divino, no sobrenatural, no sagrado, mas em instituições criadas e controladas pelo homem.

Os mesmos ideais filosóficos renascentistas estiveram marcadamente presentes na obra de escritores modernos como More: antropocentrismo, humanismo, neoplatonismo (monismo filosófico: a realidade como um todo, como uma unidade indissociável), racionalismo (a busca da razão como explicação para os fenomênos ao nosso redor, crença menos radical que no Iluminismo), individualismo, entre outros.

 

Sumário

Boletim Arcos

Cadastre-se para receber nosso boletim informativo
E-mail:

ok


Acompanhe o Arcos nas redes sociais


Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?

Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.