Erro Médico: A responsabilidade civil e penal de médicos e hospitais

1.2. A responsabilidade patrimonial

Henrique Araújo Costa e Alexandre Araújo Costa

Uma vez iniciado o processo, a relação com o paciente já está tão desgastada que tipicamente não se chega a um acordo. A parte que se julga lesada, especialmente quando está sob a influência de um advogado inescrupuloso, está pouco propensa à conciliação e tende a manter até o fim o seu interesse em uma indenização fixada em bases irreais.

E existem inclusive casos em que são ajuizados, apesar de serem implausíveis, apenas para que sejam transformados em uma barganha na qual o advogado do paciente tenta forçar um acordo cuja única função é dar fim ao incômodo da ação judicial, apesar de o autor não ter qualquer direito.

Por tudo isso, é necessário que todos os envolvidos saibam calcular com razoável clareza os riscos reais de condenação, o que exige uma compreensão adequada das questões jurídicas envolvidas.

Página anterior Próxima página
Capítulo 4 de 21
Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?

Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.