O Princípio da Razoabilidade na Jurisprudência do STF: O século XX

Fontes bibliográficas

Alexandre Araújo Costa

AARNIO, Aulis. Lo racional como razonable: un tratado sobre la justificación jurídica. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1991.

AARNIO, Aulis e outros (organizadores). La normatividad del derecho. Barcelona: Gedisa, 1997

ALEXY, Robert. Teoría de la Argumentación Jurídica. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1989.

____. Teoría de los Derechos Fundamentales. Madrid: Centro de Estudios Constitucionales, 1993.

____. Problemas da teoria do discurso. Revista Notícia do Direito Brasileiro, Nova Série, n° 1. Brasília: UnB, Faculdade de Direito: LTR, 1996, pp. 244-259.

APEL, Karl-Otto. Estudos de Moral Contemporânea. Petrópolis: Vozes, 1994.

APOSTOLOVA, Bistra Stefanova. Poder Judiciário: do moderno ao contemporâneo. Porto Alegre: Fabris, 1998.

AQUINO, Tomás de. Suma Teológica. Vol. II. Porto Alegre: Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes, 1980.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômacos. Brasília: UnB, 2a ed., 1992.

BALEEIRO, Aliomar. O Supremo Tribunal Federal. Revista Forense, Rio de Janeiro, v. 242, pp. 5-15, abr/jun 1973.

BANDEIRA DE MELLO, Celso Antônio. Conteúdo jurídico do princípio da igualdade. São Paulo: Malheiros, 3a ed., 1993.

BANDEIRAQ DE MELLO, Celso Antônio. Curso de Direito Administrativo. São Paulo: Malheiros, 9a ed., 1998.

BARRET JR., Edward L., Bruton, Paul W. e Honnold, John. Constitutional Law: Cases and Materials. Brooklyn: The Foundation Press (University Casebook Series), 1959.

BARROS, Suzana de Toledo. O princípio da proporcionalidade e o controle das leis restritivas de direitos fundamentais. Brasília: Brasília Jurídica, 1996.

BARROSO Luís Roberto. Interpretação e aplicação da Constituição. São Paulo: Saraiva, 2a ed., 1998.

BITAR, Orlando. Obras completas de Orlando Bitar, vol. III. Brasília: Conselho Federal de Cultura e Departamento de Assuntos Culturais, 1978.

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Malheiros, 7a ed., 1997.

CANAS, Vitalino. O princípio da proibição do excesso na Constituição: arqueologia e aplicações. In: Miranda, Jorge (org.). Perspectivas Constitucionais: nos 20 anos da Constituição de 1976, vol. II. Coimbra: Coimbra, 1997.

CANOTILHO, J. J. Gomes. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. Coimbra: Almedina, 2a ed., 1998.

CAPELA, Juan-Ramon. El derecho como lenguaje: un análisis lógico. Barcelona: Ariel, 1968.

Casamiglia, A. Ensayo sobre Dworkin. In: Dworkin, R. Los Derechos en Serio. Barcelona: Ariel, 1984.

CASTRO Carlos Roberto de Siqueira. O devido processo legal e a razoabilidade das leis na nova Constituição do Brasil. Rio de Janeiro: Forense, 1989.

CHEVALIER, Jean-Jacques. As grandes obras políticas: de Maquiavel a nossos dias. Rio de Janeiro: Agir, 2ª ed., 1966.

CORWIN, Edward. Liberty against Government. Louisiana State University Press, 1948.

CUSHMAN, Robert E. e Cushman, Robert F. Cases in Constitutional Law. New York: Appleton-Century-Crofts, 1958.

DWORKIN, Ronald. Taking Rights Seriously. Cambridge: Harvard University Press, 1978.

____. A matter of principle. Cambridge: Harvard University Press, 1985.

____. Freedom's law: a moral reading of the American Constitution. Cambridge: Harvard University Press, 1996.

ELY, John Hart. Democracy and Distrust: a theory of judicial review. Cambridge: Harvard University Press, 1995.

GARCÍA AMADO, Juan Antonio. Teorías de la tópica jurídica. Madrid: Civitas, 1988.

GLENDON, Mary Ann e outros. Comparative Legal Traditions : Text, Materials, and Cases on the Civil and Common Law Traditions, With Special Reference to French, German, English. Cambridge: Harvard University Press, 2a ed., 1994.

GUNTHER, Gerald e Sullivan, Kathleen M. Constitutional Law. New York: The Foundation Press (University Casebook Series), 13a ed., 1997.

GUERRA FILHO Willis Santiago. Os princípios da isonomia e proporcionalidade como garantias fundamentais. Ciência Jurídica, vol. 68, mar/abr de 1996.

HABERMAS Jürgen. Between facts and norms: contributions to a discourse theory of law and democracy. Cambridge: MIT, 1996.

____. Moral consciousness and communicative action. Cambridge: MIT, 1990.

HART H. L. A. O Conceito de Direito. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2a ed., 1994.

HALTERN, Ulrich R. High time for a check-up: progressivism, populism, and constitutional review in Germany. Harvard Law Scholl Home Page, 1996.

HOBBES, Thomas. Leviatã ou Matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

KELSEN, Hans. Teoria Geral das Normas. Porto Alegre: Fabris, 1986.

____. Teoria Pura do Direito. São Paulo: Martins Fontes, 1991

KOMMERS, Donald. The Constitutional jurisprudence of the Federal Republic of Germany. Durham: Duke University Press, 2a ed., 1997.

LARENZ Karl. Metodologia da Ciência do Direito. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2a ed., 1982.

LEAL, Victor Nunes. Problemas de Direito público e outros problemas, vol. 1. Brasília: Ministério da Justiça (Série Arquivos do Ministério da Justiça), 1997. [Republicação da obra Leal, Victor Nunes. Problemas de Direito público. Rio de Janeiro: Forense, 1960]

____. Problemas de Direito público e outros problemas, vol. 2. Brasília: Ministério da Justiça (Série Arquivos do Ministério da Justiça), 1997.

LIMA, Maria Rosynete Oliveira. Devido processo legal. Porto Alegre: Fabris, 1999. [Baseado em dissertação de mestrado defendida perante a Universidade de Brasília em 1997.]

LINARES, Juan Francisco. Razonabilidad de las leyes: el "debido proceso"como garantía inominada en la Constitución Argentina. Buenos Aires: Astrea, 2a ed. (atualizada), 1989.

LOCKE, John. Segundo tratado sobre o governo civil. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

MASON, Alpheus Thomas e Beaney, William M. American Constitutional Law: introductory essays & selected cases. Princeton: Prentice-Hall, 2a ed., 1963.

MEIRELLES, Hely Lopes (atualizado por Azevedo, E. de A. e outros). Direito administrativo brasileiro. São Paulo: Malheiros, 23a ed., 1998.

MENDES Gilmar Ferreira Mendes. A proporcionalidade na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal. IOB, dez/1994, pp. 475-469.

PERELMAN, Chaïm. L'interpretation juridique. In: Archives de Philosophie du Droit. Paris: Sirey, 1972 (L'interpretation dans le droit), p. 32. [Esse artigo encontra-se traduzido para o português na obra Perelman, Chaïm. Ética e Direito. São Paulo: Martins Fontes, 1996, pp. 621-632.

____. Lógica Jurídica: Nova Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

____. Le raisonnable e le déraisonnable en droit. In: Archives de Philosophie du Droit. Paris: Sirey, 1978. Tome 23. [Esse artigo encontra-se traduzido para o português na obra Perelman, Chaïm. Ética e Direito. São Paulo: Martins Fontes, 1996, pp. 427-437.]

PERELMAN, Chaïm e Olbrechts-Tyteca, Lucie. Tratado da Argumentação Jurídica: A Nova Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo: Cultrix, 1996.

PRITCHETT, C. Herman. American Constitutional Law. New York: McGraw-Hill, 2a ed., 1962.

____. The American Constitution. New York: McGraw-Hill, 2a ed., 1968.

____. The American Constitution System. New York: McGraw-Hill, 3a ed., 1971.

RADBRUCH, Gustav. Filosofia do Direito. Coimbra: Arménio Amado, 1997.

REALE, Giovanni e Antiseri, Dario. História da Filosofia. São Paulo: Paulus, 1990.

RECASÉNS SICHES, Luis. Jusnaturalismos actuales comparados (cursillo profesado en la Facultad de Derecho de la Universidad de Madrid, diciembre de 1969). Madrid: Universidad de Madrid, 1970.

República Federal da Alemanha. Perfil da Alemanha. Frankfurt am Main: Societäs-Verlag, 1992.

República Federal da Alemanha. Lei fundamental de República Federal da Alemanha. Bonn: Departamento de Imprensa e Informação, 1986.

ROUSSEAU, J.-J. Du contrat social. Paris: Union Générale d'Éditions, 1963.

SCHRECKENBERGER, Waldemar. Semiótica del discurso jurídico: análisis retórico de textos constitucionales y judiciales de la República Federal de Alemania. México: Universidad Nacional Autónoma, 1987.

SCHWARTZ, Bernard. Constitutional Law: a textbook. New York: Macmillan, 2a ed., 1979.

____. Decision: how the Supreme Court decide cases. New York e Oxford: Oxford University Press, 1996.

SPICER, George W. The Supreme Court and Fundamental Freedoms. New York: Taylor Cole (Current Political Problems), 1959.

STUMM, Raquel Denise. Princípio da proporcionalidade no Direito Constitucional brasileiro. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1995.

TOLSTOY, León. War and Peace. Hertfordshire: Wordsworth, 1993.

TRIBE, Lawrence H. American Constitutional Law. Mineola: The Foundation Press, 2a ed., 1988.

WADE, E.C.S e Bradley, A. W. Constitutional and administrative law. London e New York: Longman, 11a ed., 1993.

Página anterior
Capítulo 82 de 82
Sumário
Arquivos
Licença Creative Commons | Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas
Alguns direitos reservados
Exceto quando assinalado, todo o conteúdo deste site é distribuído com uma licença de uso Creative Commons
Creative Commons: Atribuição | Uso Não-Comercial | Vedada a Criação de Obras Derivadas

Como seria o Vade Mecum dos seus sonhos?

Estamos trabalhando em um Vade Mecum digital, inteligente, acessível e gratuito.
Cadastre-se e tenha acesso antecipado e gratuito à nossa versão beta.